Meu abençoado, você sabe o que conquista mais um cliente do que uma imagem bonita e um produto de qualidade? Já te adianto é uma boa copy!

Você pode chamar também de um texto persuasivo!

A persuasão é a arte de convencer alguém a fazer aquilo que você deseja, ou seja, é um jogo de sedução. Nesta dinâmica de conquista, vence quem sabe escolher as palavras e as emoções certas a serem despertadas. 

Isso é copy! É escolher as frases certas e destiná-las ao público para que eles queiram comprar a sua ideia. 

 

O que é Copywriting e o que precisa ter?

Bom, antes de tudo, deixa eu fazer as devidas apresentações.

Eu cheguei aqui chamando a copy pelo seu apelido, mas o nome completo dessa técnica de escrita é Copywriting.

Na verdade, ela é muito mais do que uma simples técnica, ela é uma estratégia de produção de conteúdo que utiliza de gatilhos mentais para convencer o público a fazer determinada ação. 

Normalmente, essa ação final é a geração de leads e, claro, conversões. 

Agora que você já conhece oficialmente o que é e para o que serve essa ferramenta, vamos ver tudo o que não pode faltar para que sua aplicação seja eficiente!

Uma copy de respeito precisa ter GATILHOS MENTAIS ATRATIVOS!

Se você é fã da Bendita Mídia, já deve ter cruzado com nosso blog sobre esses tais de gatilhos mentais. Mas, não custa nada refrescar a sua memória!

Os gatilhos mentais são técnicas de marketing aplicadas a conteúdos, eles devem gerar emoções e atitudes imediatas do leitor. 

Por exemplo, o gatilho de escassez deve gerar a vontade do cliente de comprar o seu produto imediatamente, pois você vai apresentar uma oferta que está quase no fim. 

A pessoa que ler o seu post precisa ficar com medo de não conseguir comprar o seu produto, por ele estar nas últimas unidades. 

A frase “Vagas limitadas!” pode ser considerada um clássico do gatilho mental da escassez.

Além deste, você pode contar também com os gatilhos de Urgência, Novidade e Prova Social. Todos são super importantes na construção de uma copy divina. 

Por isso, é importante que você estude cada um desses gatilhos e como eles despertam um sentimento diferente em seu público. Sabendo para o que eles servem, você terá conhecimento para escolher entre essas cartas na manga e lançá-las corretamente em meio ao seu texto. 

 

Crie uma relação de confiança com o seu público

Os gatilhos são apenas alguns pontos que não podem faltar numa copy matadora. Outro importante fator é a criação de uma conexão com o cliente. 

Para criar essa conexão, você precisa fazer o leitor acreditar que aquele texto foi escrito para ele. 

Use frases que conquistam confiança, que estabeleçam uma relação de cumplicidade entre a sua marca e o cliente. 

Por isso, é mais do que fundamental que você conheça o seu público. Um bom copywriter dedica seu tempo a pesquisa de gostos, hobbies, aspectos sociais e psicológicos das pessoas que se interessam pela empresa em questão. 

Ao saber o que o seu cliente curte (ou não gosta), você fica mais perto de contar histórias que ele se identifica. 

Outra coisa que você não pode deixar de fazer é conhecer as dores do público. O que o incomoda? Por que ele não está feliz? Quais são os problemas que você pode resolver para que ele sinta que pode confiar em você?

 

Como aplicar informações de maneira persuasiva em sua copy

Você fez a lição de casa e já tem todas essas informações de seu público citadas acima. Ótimo!

Mas, ainda não sabe como colocá-las no texto, né? 

Então, agora vai algumas dicas abençoadas diretamente aqui no céu: use verbos de ação, escreva como se estivesse numa conversa informal, não tenha medo de contar longas histórias. 

Ufa! Tudo isso em um texto só, Benditinho?

Sim! Você quer vender ou não quer? 

Na arte da construção de uma boa copy, se destaca quem não tem preguiça de organizar todas essas ferramentas em palavras coerentes e frases de impacto!

Mas, calma, vamos aos poucos. 

Agora, vou te explicar como usar os verbos de ação. 

Lembrando que você precisa fazer a pessoa que está lendo cumprir determinada ação, logo, é importante dar indicações claras e objetivas. 

Use e abuse de verbos como: Faça, torne-se, clique, conquiste, busque, peça, curta…

Isso vai fazer com que a pessoa fique mais inclinada a fazer o que você deseja, sem pensar muito. 

E quanto a conversa informal, escreva como se estivesse em um bate-papo com aquele amigo de anos. Quanto mais tranquilidade e proximidade você estabelecer com o leitor, melhor serão as chances dele confiar em você!

Conte histórias! Uma boa jornada do herói conquista qualquer um! 

Por isso, construa uma narrativa interessante, que prenda o leitor e, no fim, mostre como o seu produto/serviço se encaixa nessa história como o final feliz. 

Se você achou tudo isso muito difícil de ser colocado em prática, conte com a minha abençoada equipe! Aqui na Bendita Mídia a gente constrói copys de primeira para você!